Papa vai "perdoar" mulheres que abortaram



A Igreja Católica vai oferecer no próximo domingo (13) em todo o mundo a chance para que mulheres que fizeram aborto sejam "perdoadas" se cumprirem certos procedimentos. A absolvição, que também poderá ser estendida a mulheres mortas, faz parte do Jubileu da Misericórdia, o Ano Santo da igreja que começa na terça-feira (08) e vai até 20 de novembro de 2016.

"A absolvição do pecado do aborto é uma prerrogativa dos bispos que, em situações particulares, podem delegar esta função aos padres. Todavia, durante o Ano Santo, para facilitar ainda mais o perdão, o papa Francisco concedeu esta faculdade a todos os sacerdotes", disse à BBC Brasil o padre Geraldo dos Reis Maia, reitor do Colégio Católico Pio Brasileiro, em Roma, administrado pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).

"Conheço bem os condicionamentos que as levaram a tomar esta decisão. Sei que é um drama existencial e moral. Encontrei muitas mulheres que traziam no seu coração a cicatriz causada por esta escolha sofrida e dolorosa", afirmou Francisco em setembro, quando descreveu as diversas formas em que será possível obter indulgências.

Peregrinação e arrependimento

 O Jubileu da Misericórdia começará com a abertura da Porta Santa da Basílica de São Pedro, no Vaticano, mas no dia 13 de dezembro diversas catedrais e igrejas no mundo todo também abrirão as portas para oferecer o perdão. Para recebê-lo, os fiéis devem realizar uma peregrinação até as igrejas, além de se confessarem e comungarem.

As pessoas que estiverem impossibilitadas de ir até uma das "portas santas", como doentes, idosos e presos, também podem receber a absolvição dirigindo o pensamento e a oração a Deus. Os fiéis podem participar da santa Missa e da oração comunitária à distância também. A indulgência pode ser obtida também para pessoas falecidas, por intermédio de orações feitas por parentes ou amigos.

(DOL com informações do UOL)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin